top of page

Biografia



Ricardo Vieira Lima nasceu em Niterói – RJ, em 24 de julho de 1969. Doutor em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e mestre em Literatura Brasileira pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), é poeta, crítico literário, ensaísta, jornalista, antologista, editor-assistente da revista Fórum de Literatura Brasileira Contemporânea (UFRJ) e coordenador, juntamente com o poeta e ensaísta W. B. Lemos, do Sarau do Museu, evento literário mensal, realizado, virtualmente, pelo Museu da Justiça (TJRJ). Desde a década de 1990, vem publicando ensaios, resenhas, entrevistas e poemas em diversos jornais e revistas brasileiros e estrangeiros, a exemplo de O Globo, Jornal do Brasil, Colóquio Letras, Metamorfoses, Revista Brasileira (ABL), Fórum de Literatura Brasileira Contemporânea, Rascunho, Poesia Sempre (FBN), Mallarmargens, etc. Seus poemas têm sido traduzidos e divulgados em países como Estados Unidos e Itália.

Bibliografia

 

 

POESIA

 

Aríete - poemas escolhidos. Rio de Janeiro: Circuito, 2021.

PARTICIPAÇÃO EM ANTOLOGIAS

 

Antologia momento 1986. Organização e apresentação de Ozanir Roberti Martins. Rio de Janeiro: Rede MV1, 1986.

 

Antologia momento 1987. Organização e apresentação de Ozanir Roberti Martins. Rio de Janeiro: Rede MV1, 1987.

 

Cadernos de poesia oficina nº 7. Organização e apresentação de Francisco Igreja. Rio de Janeiro: Oficina Publicações, 1987.

 

Cadernos de poesia oficina nº 8. Organização e apresentação de Francisco Igreja. Rio de Janeiro: Oficina Publicações, 1987.

 

O conto e o dono do conto 2. Organização de Heli Samuel e Hélio Moraes. Rio de Janeiro: Editora CODPOE, 1989. 

 

Antologia da nova poesia brasileira. Organização, seleção, notas e apresentação de Olga Savary. Rio de Janeiro: Fundação Rio/Rio Arte; Editora Hipocampo, 1992.

 

Poemas cariocas. Organização e apresentação de Thereza Christina Rocque da Motta. Rio de Janeiro: Ibis Libris, 2000. 

 

Santa poesia. Organização de Cleide Barcelos. Rio de Janeiro: MMRio Comunicação, 2001.

 

80 balas, 80 poemas. Organização de Claudio Daniel. São Paulo: Zunái, 2020. 

 

Ato poético: poemas pela democracia. Organização de Márcia Tiburi e Luís Maffei. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2020.

 

Poemas de amor: Shakespeare, Camões, Machado, Florbela, Lorca e outros 115 poetas de ontem e de hoje. Seleção e organização de Walmir Ayala. 2ª ed. revista e atualizada por André Seffrin. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2021.

 

Revolta e protesto na poesia brasileira: 142 poemas sobre o Brasil. Organização de André Seffrin. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2021.

 

 

ORGANIZAÇÃO DE OBRA

 

Roteiro da Poesia Brasileira – Anos 80 (ensaio e antologia). São Paulo: Global Editora, 2010.

 

Poesia completa – Ivan Junqueira. Lisboa: Glaciar; Academia Brasileira de Letras, 2019

 

Narciso em cacos – antologia poética de Hilma Ranauro. Rio de Janeiro: Circuito (no prelo).

 

ENSAÍSMO

 

Obra reunida – Dante Milano”. In: Metamorfoses 6. Lisboa: Editorial Caminho e Cátedra Jorge de Sena, 2005, p. 321-324. 

 

“Poesia, linguagem e vida”. In: Eliane Vasconcelos (Org.). A plumagem dos nomes – Gilberto: 50 anos de literatura. Goiânia: Editora Kelps, 2007, p. 271-276. 

 

“O nervo do conflito: fenecimento e vitalidade na poesia de Ivan Junqueira”. In: Revista Brasileira. Fase VII. Ano XVII. Número 67. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2011, p. 129-151. Disponível em: http://www.academia.org.br/sites/default/files/publicacoes/arquivos/revista-brasileira-67.pdf. 

 

“Amálgama criativo: o ensaísmo poético e a poesia crítica de Antonio Carlos Secchin”. In: Maria Lucia Guimarães de Faria; Godofredo de Oliveira Neto (Org.). Secchin: uma vida em letras. Rio de Janeiro: UFRJ, 2013, p. 87-97. 

 

“Trilogia das Santas: a hagiografia poética de Cecília Meireles”. In: Cecília Meireles. Pequeno oratório de Santa Clara, Romance de Santa Cecília e Oratório de Santa Maria Egipcíaca. São Paulo: Global Editora, 2014, p. 11-24. 

 

“Iniciação à treva: horror e monstruosidade no Heart of darkness, de Joseph Conrad”. In: Claudio Vescia Zanini; Sandra Sirangelo Maggio (Org.). O insólito nas literaturas de língua inglesa. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2015, p. 171-198. Disponível em: http://www.dialogarts.uerj.br/admin/arquivos_tfc_literatura/O_insolito_nas_literaturas_de_lingua_inglesa.pdf.

 

Signos incógnitos: marcas da poética de João Cabral na obra de Ana Cristina Cesar. 2015. Dissertação de mestrado em Literatura Brasileira – Instituto de Letras, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).  

 

“Do poema como objeto sonoro ao poema como resgate do humano: uma (re)leitura da poesia de Claudia Roquette-Pinto”. In: Fórum de Literatura Brasileira Contemporânea. Vol. 8. Número 16. Rio de Janeiro: UFRJ, 2016, p. 51-67. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/flbc/article/view/17245.

 

“Vozes femininas para um novo milênio”. In: Revista Fórum Identidades. Ano 10. Vol. 20. Sergipe: UFSE, 2016, p. 47-66. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/5912.

 

“Cláudio Neves, ou: um poeta de ouvido absoluto contra o absurdo olvido da poesia”. In: Cláudio Neves. Ouvido no café da livraria. São Paulo: Filocalia, 2016, p. 9-18. 

 

“Pombo de pluma e granito: pluralidade, leveza e densidade na poesia de Antonio Carlos Secchin”. In: Colóquio Letras. Vol. 200. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2019, p. 187-195. 

 

#queversoueu: a revalorização da subjetividade na poesia brasileira contemporânea. 2019. Tese de doutorado em Literatura Brasileira – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

 

BIOGRAFIA

 

A voz da natureza. Em coautoria com Clotilde Honório da Silva. Rio de Janeiro: Fábrica de Livros – SENAI/XEROX/FUNGUTEN, 2009.

 

JORNALISMO

 

Da monocultura ao agribusiness: a história da Sociedade Nacional de Agricultura. Em coautoria com Luciana Quillet Heyman. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2005.

bottom of page